Decorreram no passado dia 21 de Janeiro as comemorações do 57ª Aniversário dos Bombeiros Voluntários de Vale de Cambra. Na ocasião foi também assinado o protocolo de constituição da Equipa de Intervenção Permanente (EIP), que tem o Município de Vale de Cambra como um dos parceiros no investimento e manutenção desta importante unidade que ficará ao dispor dos valecambrenses.

Foi assinado, por ocasião da celebração do 57º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vale de Cambra, o protocolo que formaliza a constituição da primeira Equipa de Intervenção Permanente (EIP). “Esta equipa significa prontidão, mais ajuda, mais disponibilidade, mais dedicação ao socorro de pessoas e bens”, referiu José Pinheiro, presidente da Câmara Municipal de Vale de Cambra.

A cerimónia contou com a presença do Secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, com o Presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil, Coronel Joaquim Leitão, entre muitos outros convidados.

A criação da EIP resulta de um investimento de 60 mil euros partilhado pela Câmara Municipal de Vale de Cambra e pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), com a homologação do Secretário de Estado da Administração Interna.

José Pinheiro, presidente da autarquia, aproveitou a ocasião para relembrar o verão difícil em que o concelho viu arder uma área de mais de 4 mil hectares, com enormes prejuízos para as populações, graves danos ambientais e com consequências ainda imprevisíveis. “Quando regressarem as chuvas, que a serem intensas, provocarão com certeza derrocadas, arrastamento de cinzas e lamas, perturbações nos lençóis freáticos com consequências para a qualidade da água e o inevitável assoreamento dos cursos de águas”, alertou o autarca.

O líder do Município aproveitou ainda a presença do Secretário de Estado para publicamente apelar ao governo “para que desbloqueie o processo que nos permitirá dar corpo à tão ansiada helipista, garantindo desta forma que no próximo verão os bombeiros já possam contar com o apoio desta importante infra-estrutura”, afirmou.

Na ocasião, José Pinheiro destacou também o espírito empreendedor do concelho, que se afirma cada vez mais como a capital nacional da indústria do aço inoxidável, berço nacional dos lacticínios, líder na produção de embalagens metálicas, na produção de portas e também uma referência na área da automação industrial. Entre 2013 e 2015 as exportações no concelho cresceram mais de 12%.

Miguel Soares, Presidente da Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vale de Cambra (AHBVVC) reforçou, na sua intervenção, aquela que é a principal preocupação atual da associação: a inauguração do Centro de Meios Aéreos. “Esperamos e desesperamos por um desfecho que reconheça o mérito e o imprescindível interesse estratégico deste equipamento para a proteção civil local, regional, distrital e nacional”, referiu o dirigente.

O presidente da direção da AHBVVC apelou ainda “à ajuda e ao empenho” do Secretário de Estado na finalização e concretização do Centro. “Reconheça connosco, a pertinência e a importância deste projeto. Será sem dúvida uma verba muito bem empregue, sem derrapagem e sem surpresas negativas”, referiu.

Miguel Soares deixou ainda um agradecimento especial a todas as empresas que com os seus apoios e donativos têm permitido à Associação manter a atividade e ajudado a prestar socorro às populações.

Quem também enalteceu o trabalho dos bombeiros valecambrenses foi o seu líder, o comandante Vítor Ferreira, que classificou “2016 como um ano misto em sentimentos…um sentimento de missão cumprida – não chegamos mais cedo, não chegamos a todos como gostaríamos com a rapidez desejada, mas conseguimos minimizar aquilo que podia ter sido um verdadeiro terror – mas um outro sentimento de impotência perante as adversidades que nos foram impostas no verão passado. Dissemos PRONTO em todas as frentes e lutamos sempre contra tudo e contra todos com o intuito de salvar pessoas e bens”. Mas o futuro foi também destacado por Vítor Ferreira “….tenho que demonstrar aqui o meu orgulho, também, pela Escola de estagiários que iniciamos em Novembro passado com 24 Estagiários que começaram a sua formação, e a Escola de Infantes que este ano é composta por 40 elementos, que já leva 5 anos de existência, uma aposta deste Comando, grato aos monitores pela sua perseverança e capacidade de motivação dos miúdos.”

O Secretário de Estado salientou que o governo tem vindo a fazer um esforço na criação das EIP, faltando agora Arouca e Murtosa que são os únicos concelhos no distrito de Aveiro que não possuem estas equipas, e comprometeu-se a dar todo o apoio no desbloquear os processos para a conclusão do centro de meios aéreos.

Equipas de Intervenção Permanente

As EIP visam assegurar, em permanência, o socorro às populações, designadamente em casos de combate a incêndios, inundações, desabamentos, abalroamentos e em todos os acidentes ou catástrofes e minimização de riscos em situações de previsão ou ocorrência de acidente grave. Visam ainda o socorro complementar, em segunda intervenção, desencarceramento ou apoio a sinistrados no âmbito da urgência pré-hospitalar não podendo substituir-se aos acordos com a autoridade nacional de emergência médica.