O clube brasileiro Chapecoense, alvo do desastre aéreo que vitimou grande parte dos jogadores e equipa técnica em novembro passado, quer contratar o guarda-redes Bracali, do Futebol Clube de Arouca.

O clube arouquense não se mostrou interessado em dispensar o jogador e, em declarações à agência Lusa, Joel Pinho, diretor desportivo do Arouca, afirmou que “o jogador tem contrato para cumprir, é um ativo do clube e tem de ser valorizado”. Rafael Bracali, de 35 anos, é titular no Arouca e tem contrato até ao final da temporada de 2018/2019.

Joel Pinho confirmou à Lusa que teve um encontro com o empresário Beto Rappa, no final do Arouca-Estoril da 17.ª jornada, que o tentou convencer a libertar Bracali. Além dessa abordagem, o diretor desportivo do Arouca afirmou não ter recebido “nenhuma proposta formal da Chapecoense” e que qualquer proposta que vise o guardião “deve estar de acordo com a importância que o jogador tem no plantel do Arouca”.