Por ajuste direto no valor de 147.500 euros, a Câmara Municipal de Arouca adjudicou à empresa Carmo Estruturas em Madeira, S.A. a reconstrução do passadiço do Paiva que ardeu no incêndio de agosto. Foram 600 metros entre a ponte de Alvarenga e Aguieiras e cerca de 700 metros entre Aguieiras e Vau.

O prazo de execução é de sessenta dias.

De referir que já em setembro de 2015, um outro incêndio tinha destruído um troço com cerca de 600 metros, entre as praias fluviais do Vau e a de Espiunca, junto à ribeira de Canelas.

O percurso de oito quilómetros ao longo das margens do rio Paiva tinha sido reaberto em fevereiro, depois de ter sido alvo de obras de reabilitação, que custaram cerca de 130 mil euros.

Enquanto isso, na informação municipal dada a conhecer na última Assembleia Municipal, foi referido não só que o levantamento das áreas ardidas dos passadiços estava concluído, como se encontrava em execução o cadastro dos terrenos confrontantes com o passadiço do Paiva.