João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e Desporto, visitou no passado dia 18 de novembro, a sede da Fajda (Federação das Associações Juvenis do Distrito de Aveiro), em Arouca. A visita foi realizada no âmbito de um roteiro por várias associações juvenis do distrito, tais como S. João da Madeira, Estarreja e Santa Maria da Feira, sendo que a sede da Fajda foi o ponto de partida.

Da comitiva fez também parte o IPDJ – Instituto Português do Desporto e da Juventude, a FNAJ – Federação Nacional das Associações Juvenis e a FAJDA. O governante João Paulo Rebelo e a restante comitiva foram recebidos pela FAJDA, por diversos elementos do executivo da Câmara Municipal de Arouca, entre eles Artur Neves e Margarida Belém, e por várias associações juvenis do concelho.

Seguiu-se uma visita às instalações, comandada por Rafael Vaz, presidente da direção da Fajda, e os habituais discursos.

Rafael Vaz agradeceu a presença do secretário de Estado, apresentou a sede da Fajda e fez uma breve explicação do trabalho desenvolvido até ao momento, tanto a nível de infraestruturas como a nível dos roteiros de proximidade realizados junto das associações do concelho.

Temos tentado perceber a realidade do distrito e reorganizado os próprios espaços da sede para torná-la mais acolhedora. Andamos também a fazer os roteiros de proximidade pelas associações, trata-se de conhecê-las e perceber as suas necessidades”, afirmou o presidente da direção da Fajda.

Artur Neves aproveitou também para agradecer a visita do governante e felicitou a Fajda pelo trabalho desenvolvido no âmbito cultural e desportivo, afirmando que “é um orgulho ter a sede da Fajda em Arouca”.

Na sua intervenção, João Paulo Rebelo, falou dos vários distritos que já visitou ao longo do ano no âmbito do associativismo jovem. “Estou satisfeito pelo que tenho conhecido e pelo que tenho contactado com o associativismo juvenil”, afirmou.

O Secretário de Estado da Juventude e Desporto referiu ainda o plano do Governo para a área da juventude, defendendo que “o movimento associativo de base local é absolutamente indispensável ao desenvolvimento de políticas de juventude” e constituem “boas escolas de formação”. Afirmou ainda que o plano do Governo passa pela valorização do trabalho que as associações juvenis fazem, particularmente no interior do país, e pela valorização e incentivo à participação dos jovens nas associações juvenis. O governante defendeu também uma maior participação dos jovens na tomada das decisões importantes e a participação dos mesmos nas eleições autárquicas de 2017. “A democracia está posta em perigo se não houver uma renovação e um rejuvenescimento dessa própria democracia e isso passa pelo envolvimento e participação dos mais jovens”.

João Paulo Rebelo informou que 2017 “vai marcar o início do Plano Nacional de Juventude que estamos a desenhar para o resto da legislatura (2017/2019). Trata-se de um instrumento que, do nosso ponto de vista, vai garantir a transversalidade das políticas juvenis. Queremos mapear ministério a ministério o que está a ser feito em matéria de juventude, o que está a ser feito de políticas de juventude, seja na agricultura, seja na saúde, na educação, na habitação, em todas as áreas”, concluiu.

A visita terminou com a habitual fotografia de grupo.

Texto e foto: Andreia Borges

2