O Cambrafest contabilizou desde a primeira edição até ao momento, mais de 200 inscrições, mais de 40 dias de festival e mais de 20000 pessoas que já assistiram a este festival de bandas de garagem. E foi também numa garagem, no caso o Parque Subterrâneo de Vale de Cambra que se realizou a final nos dias 28 e 29 de outubro que ditou como vencedora da sexta edição, a banda Gy Max Trane. Para o ano, Eduardo Marques, diretor do evento promovido pela Associação Académica de Cambra, lembrou que o objetivo é fazer crescer ainda mais o Cambrafest, que tem vindo a conquistar cada vez mais público e cada vez mais público de fora.

Desde a primeira edição que o Cambrafest tem vindo a afirmar-se no panorama musical nacional trazendo a Vale de Cambra bandas de norte a sul do país, como foi o caso deste ano em que concorreram mais de 40 bandas de garagem, das quais foram escolhidas 12, que se repartiram por quatro eliminatórias que decorreram nos bares do concelho. À final, que decorreu no Parque Subterrâneo, chegaram as bandas Ground Control, Fury! Gagarin, Gy Max Trane e Alma Mater Society, saindo vencedora desta sexta edição a Banda Gy Max Trane.

Durante os dois dias que decorreu a final, o Cambrafest contou ainda com a presença das seguintes bandas convidadas: Valha-nos Deus, The Miami Flu, Whales e The Walks, no dia 28 de outubro e da banda vencedora da edição anterior Casuar, no dia 29, que encerrou com a atuação dos cabeças de cartaz Sean Riley and The Slowriders.

O Cambrafest que tem o carimbo da Associação Académica de Cambra contou também com a presença de António Freitas da Antena 3, que pela relação que tem com o festival sendo já o quarto ano que vem ao evento é tido como uma espécie de padrinho do mesmo e João Carvalho, diretor da RITMOS e organizador dos Festivais Vodafone Paredes de Coura e o NOS Primavera Sounds, que apesar de estreante no Cambrafest, gostou do que viu e prometeu em breve entrar em contacto para ver o que se consegue fazer para os próximos anos.

Na apresentação do evento que decorreu na Biblioteca Municipal no dia 28, e contou com a presença da vereadora da Câmara Municipal de Vale de Cambra, Catarina Paiva, que prometeu dar continuidade à parceria existente entre o município e este evento, o diretor do Cambrafest, Eduardo Marques assumindo que um dia gostaria de ver este festival equiparado ao Festival de Paredes de Coura deixou antever que para a próxima edição estão a pensar em algo diferente. Sem adiantar muitos pormenores, revelou que o objetivo é fazer crescer ainda mais o Cambrafest, de forma a chegarem a mais público de outros pontos do país, visto que já conseguem chegar às bandas de todo o país, com inscrições que vão desde Bragança a Faro. Nesta edição, registou a presença de público de vários concelhos vizinhos, nomeadamente Arouca, S. João da Madeira, Sever do Vouga, Oliveira de Azeméis e do Porto.

Texto: Rosa Almeida