O Empresas & Empresários desta semana dá-lhe a conhecer Alexandra Sousa que, depois de 9 anos a trabalhar na área do comércio, deixou o emprego num centro comercial e abriu, por conta própria, a loja “Na Teia do Ouro”, situada na Alameda D. Domingos de Pinho Brandão, em Arouca. Aberta ao público desde maio deste ano, a ourivesaria, relojoaria e ótica vê na “satisfação dos clientes” o caminho para o sucesso.

Após 9 anos a trabalhar no ramo do comércio, Alexandra Sousa deixou o emprego para tentar a sorte na sua área de formação, como assistente social. As oportunidades acabaram por não surgir e Alexandra voltou à área que mais domina, abrindo uma loja, do mesmo ramo do marido, de ourivesaria, relojoaria e ótica. Aberta há vários anos com outro nome e outra gerência, a loja “Na Teia do Ouro” está de novo aberta ao público pelas mãos de Alexandra, desde maio deste ano e emprega uma colaboradora.

O estabelecimento aposta na comercialização de três tipos distintos de produtos: ourivesaria, relojoaria e ótica, e na prestação de serviços médicos no que diz respeito à visão. Além da venda de óculos de sol, óculos com graduação e lentes de contacto, a loja disponibiliza, de 15 em 15 dias, normalmente ao sábado à tarde, consultas gratuitas e rastreios à visão, com um médico especialista. No que diz respeito à ourivesaria e relojoaria, a “Na Teia do Ouro” aposta na comercialização de relógios, jóias em prata, ouro e aços, molduras, álbuns de fotografias, artigos de decoração e outros produtos com os mesmos materiais.

Alexandra Sousa referiu que seguir as tendências, estar atenta ao mercado e vender vários tipos de produtos de diversas marcas é essencial, já que “só assim é possível abranger todo o tipo de cliente”. Apostamos muito nas tendências, naquilo que é a moda e temos marcas que representam isso: a Guess, Tommy Hilfiger, Rayban, Police e Carolina Herrera são alguns exemplos”.

Apesar de ainda ter as portas abertas há pouco tempo, Alexandra afirmou que o volume de negócios tem sido satisfatório, tendo notado especial afluência no verão, muito por causa do regresso dos emigrantes para as habituais férias. “Tendo em conta o historial da loja, as coisas estão a correr bem. Se começar um negócio por si só já é complicado, com o historial negativo torna-se ainda mais difícil”, confessou a proprietária.

Conforme refere Alexandra Sousa, os principais objetivos para o futuro passam por aumentar o número de clientes, fidelizar os clientes já existentes e continuar a apostar no bom atendimento. “Gosto de sentir que as pessoas saem daqui satisfeitas e que gostam de vir aqui, porque se as pessoas saem daqui satisfeitas vão acabar por recomendar a loja e mais pessoas virão”.

Alexandra Sousa tem na loja o seu meio de subsistência e afirmou que pretende manter o estabelecimento por muito tempo. Admitiu que montar uma loja, fazer obras de remodelação e rechear o espaço “é muito difícil”, mas não descartou a possibilidade de abrir novos estabelecimentos no futuro.

Na Teia do Ouro” está aberta ao público de segunda a sábado, das 9h00 às 12h30 e das 14h às 19h.