Fundada em 2010, a Limalha é uma marca de mobiliário e peças de design de autor em metal, que produz maioritariamente para o exterior do país. Sediada em Coimbra e com filial em Milheirós de Poiares desde agosto deste ano, emprega cinco colaboradores e um arquiteto.

A carreira profissional de Ricardo Costa, um dos sócios e criador da marca Limalha, começou aos 23 anos. “Comecei como vendedor numa empresa de materiais de construção e, na altura conheci uma serralharia de Arouca que fazia algumas peças deste tipo. Como estava ligado à área da decoração de interiores e percebia que tínhamos sempre muita dificuldade em arranjar este tipo de mobiliário, comecei a dedicar-me e acabei por ficar sócio da empresa Divulga – gestão de imagem, em 2007”. A empresa começou por trabalhar na área de gestão de marcas e passou depois para o sector do mobiliário.

Ricardo Costa, de 32 anos, contou-nos que na altura fez uma escultura em aço-inox para a Universidade de Coimbra e o trabalho correu de tal forma bem que conseguiu alguns contactos de médicos e professores catedráticos, que lhe foram começando a encomendar e a pedir orçamentos. “A partir daí comecei a ponte com eles, que me levaram também a outras pessoas”.

A filial da empresa, antes sediada em Fermedo, Arouca, mudou-se para Milheirós de Poiares. Produz mobiliário em aço inox, latão, cobre, bronze, zinco, prata e cristais, que assenta na confeção de produtos por medida e peças de design de autor.

Exportação e fornecedores

O empresário afirma que “o passa palavra tem sido muito importante” e que a grande maioria das peças que produzem são para exportação. “Temos clientes desde o Algarve até Inglaterra. Estamos a produzir serralharia civil, fachadas e peças de design de autor para hotéis. Mas cá na zona temos muito poucos clientes”, sublinhou.

Ricardo Costa referiu ainda que a marca mudou de instalações para ficar mais perto dos fornecedores. “Estamos cá especificamente por estarmos perto de Vale de Cambra, onde há mais empresas ligadas ao sector da metalurgia e onde estão 80% dos nossos fornecedores. Temos proximidade com as empresas que comercializam matérias-primas e consumíveis, temos acesso rápido aos produtos. Se estivéssemos em Coimbra não seria assim”. Valores de renda mais baixos e potência de luz superior foram também algumas razões que levaram à mudança de instalações.

O empresário não esconde a vontade de “instalar” a marca em Arouca, devido à proximidade aos fornecedores e ao acesso à auto-estrada. “Temos dificuldade de arrendamento em Arouca, esse mercado poderia ser mais desenvolvido. As empresas constroem para uso fruto e não para arrendamento. Se estivesse numa central como Arouca ou Vale de Cambra seria melhor para o negócio.”.

Aposta na formação dos funcionários

A Limalha emprega atualmente cinco pessoas e, apesar de dar formação aos novos colaboradores, Ricardo Costa admite que existem grandes dificuldades em encontrar funcionários para trabalhar na área. “Não há qualquer dificuldade para quem esteja nesta área em arranjar trabalho, e a preços bastante elevados para o que se paga em Portugal”, contou-nos, acrescentando que a empresa já não pode aceitar mais trabalho porque não tem funcionários. “Neste momento temos trabalho até abril de 2017”.

Missão e Volume de Negócios

Segundo Ricardo Costa, em 2015, a Limalha exportou de 30 a 40%. Para este ano, as expetativas são chegar aos 480 mil euros. “O nosso objetivo a médio prazo é 100% exportação. Estamos a tentar algumas economias emergentes como o Qatar e a Arábia, são esses países que consumem mais metais nobres. O mercado inglês também é fora de série.”.

A empresa de Ricardo Costa é “quase invisível” ao mercado do cliente final, já que produz para marcas e alguns clientes assinam as peças criadas. Apesar disso, já existem alguns produtos assinados pela Limalha. “Expomos alguns trabalhos em lojas de decoração no Porto, Lisboa e Coimbra”.

A grande missão da empresa é criar uma marca que faça apenas produtos de autor. “Qualquer cliente que pretenda uma peça diferente e exclusiva pode recorrer a nós que teremos todo o gosto em reproduzi-la”, concluiu Ricardo Costa, responsável pela empresa.

Para mais informações poderá contactar: www.limalha.com | info@limalha.com