“Iremos seguramente afirmar o PPD/PSD como alternativa. Este partido tem um legado incrível de construção e desenvolvimento da nossa terra”.

João Carvalho, novo presidente da concelhia do PSD de Vale de Cambra, em entrevista

João Carvalho foi recentemente eleito Presidente da Comissão Política do PSD, de Vale de Cambra, na refrega de uma forte derrota eleitoral do partido nas eleições autárquicas. O maior dos propósitos, que agora anuncia, passa por voltar a devolver aos sociais-democratas uma Câmara perdida em 2013, para o CDS-PP. Para isso promete “uma mudança alicerçada nos valores da fundação do partido”.

O horizonte de 2021

DD – O porquê de uma candidatura?

João carvalho (JC) – Assumi a candidatura ao PSD de Vale de Cambra com o propósito de que havia uma necessidade enorme de uma mudança no seio do partido. Uma necessidade de mudança alicerçada nos valores da fundação do partido, tendo como inspiração aqueles que no passado muito fizeram por esta terra que amamos que é Vale de Cambra. Na minha opinião esta era a altura certa para dar seguimento à mudança, após o fim de um ciclo, abrindo agora um novo ciclo no PPD/PSD para reforçar a alternativa e apresentar a nova visão para o partido, mas acima de tudo para Vale de Cambra.

DD -…está no seu horizonte uma candidatura à Câmara?

JC – Ser Presidente do PPD/PSD não implica diretamente ter de assumir uma candidatura à Câmara Municipal. O grande objetivo de qualquer líder de um projeto destes deve ser o de em conjunto com a sua equipa, com os militantes do partido e com as pessoas que queiram colaborar, encontrar soluções que vão de encontro às necessidades das pessoas. O principal objetivo de qualquer político deve ser o de ter capacidade de proporcionar melhores condições de vida para a realidade em que está inserido. Há uma citação de Sá Carneiro que costumo utilizar e que ajuda a responder à questão: “Primeiro Portugal, depois o partido e só no fim a circunstância pessoal de cada um de nós!” Nós colocaremos Vale de Cambra em primeiro!

Iremos começar a apresentar soluções”

DD – Quais as principais linhas orientadoras para um PSD na oposição?

JC – Queremos colaborar de forma ativa para que os valecambrenses sintam a sua vida no nosso concelho a melhorar de dia para dia. Para cumprir esse desígnio teremos de apresentar uma equipa alternativa que evidencie bem as suas ideias, o projeto, o que pode mudar e que acima de tudo obtenha respeito e confiança por parte das pessoas. Esse é o nosso objetivo. Para isso vamos trabalhar e iremos começar a apresentar soluções.

Este projeto que lidero junto com a minha equipa, vai centrar-se em arranjar soluções e estratégias para melhorar a qualidade de vida dos valecambrenses, para afirmar Vale de Cambra, mostrando que o PPD/PSD tem um projeto que lhe permite vencer as eleições de 2021. Vamos basear o nosso trabalho na proximidade com as pessoas, vamos ouvir as pessoas, perceber as suas dificuldades e identificar aqueles que os Valecambrenses querem que os represente.

Concordar com aquilo que está a ser bem feito e discordar com aquilo que está mal feito”

DD – Como pensam envolver a comunidade valecambrense?…como pensam cativá-la?

JC – Esta equipa quer ouvir todos os Valecambrenses, perceber as suas dificuldades para fazer uma avaliação correta sobre o trabalho que tem vindo a ser feito pelo atual executivo. Queremos fazer uma oposição atenta, construtiva, mas ao mesmo tempo irreverente, inconformada e que seja capaz de apresentar alternativas. Pretendemos uma política pela positiva, apresentando soluções para fazer uma oposição que possa dignificar o nome do PPD/PSD, os seus valores, as suas bases, os seus pilares e mostrar aos Valecambrenses que este novo PPD/PSD vai trabalhar por eles e para eles. Vamos estar atentos, vamos com certeza apresentar propostas e medidas que os Valecambrenses necessitam para sermos assim uma alternativa credível.

Queremos ser uma oposição construtiva e realista. Devemos concordar com aquilo que está a ser bem feito e discordar com aquilo que está mal feito, ou que poderá colocar em risco o futuro dos Valecambrenses, mostrando sempre uma alternativa. Sou contra a chamada “clubite” partidária e um político deve ter a coragem e frontalidade de dizer o que está bem e o que está mal. Acredito que só assim se consegue ganhar a confiança das pessoas.

As obrigações do CDS

DD – Como está a ver o trabalho da Câmara centrista?

JC – O CDS dispõe de uma larga maioria na Câmara Municipal, na Assembleia Municipal e nas Juntas de Freguesia, pelo que tem condições únicas para desenvolver um projeto e nunca poderá responsabilizar o PPD/PSD ou outra força partidária de não ter feito algo porque a oposição não permitiu. Tudo aquilo que não fizerem será por falta de ideias ou incapacidade. Democraticamente conseguem aprovar todos os projetos que tiverem, nós estaremos aqui, atentos e preparados para debater e apresentar a nossa visão e alternativa. Pelo que foi a última campanha e por todas as condições que dispõem, o CDS tem a obrigação de fazer muito por Vale de Cambra nos 3 anos e meio que faltam.

Aproveitar o potencial de Vale de Cambra

DD – Que aposta, ou apostas, estratégicas pode e deve ter o concelho em termos socioeconómicos?

JC – Olhamos para Vale de Cambra e vemos um Concelho no interior do distrito, com um património paisagístico enorme que nos permitirá apostar em áreas como o turismo. Temos empresários resilientes que nos ajudam a ter uma indústria pujante com necessidades contínuas de mão-de-obra. Temos melhores acessos que concelhos vizinhos como Arouca e Sever do Vouga. Só estes exemplos são suficientes para mostrar o muito que podemos crescer. Temos de ter uma aposta forte no turismo, podendo desenvolver a área cultural no nosso concelho para termos a capacidade de atrair pessoas a visitar, a conhecer Vale de Cambra. Isto ajudará a que o investimento e o consumo aumentem.

Temos de aproveitar a indústria que temos para promover a nossa terra. Aqui a mão-de-obra qualificada consegue emprego. Temos de utilizar este ponto a nosso favor para atrair famílias a fixarem-se em Vale de Cambra. Com isso combateremos a desertificação e conseguiremos o rejuvenescimento da população, para além de conseguirmos o aumento do consumo interno, reforçando o nosso comércio tradicional.

Quanto aos empresários que acima referi, permitam-me o exemplo de Santa Maria da Feira onde vemos a Câmara a trabalhar ao lado dos seus empresários, a apoiá-los na internacionalização, na captação de novos mercados. Quanto mais longe vão as nossas empresas mais longe vai Vale de Cambra. Tudo isto reforça a estabilidade das empresas e tenho a certeza que ajuda a criar mais emprego. Um político deve lutar por isso, assegurar que todos na sua terra consigam ter emprego. Isso fará de nós um local ainda mais atrativo para viver.

Os nossos acessos também nos ajudam para mostrarmos para fora que no sossego do nosso vale há um território fantástico para conhecer e explorar, um comércio tradicional com produtos únicos e de qualidade. Temos de aproveitar isso para numa competição saudável com os concelhos vizinhos atrair pessoas para cá, através de eventos que façam com que as pessoas se desloquem e conheçam esta terra.

DD – Sentem que podem ajudar?

JC – Iremos seguramente afirmar o PPD/PSD como alternativa. Este partido tem um legado incrível de construção e desenvolvimento da nossa terra. Neste momento sabemos que os valecambrenses escolheram-nos para fazer oposição. Respeitaremos sempre a vontade dos valecambrenses e por isso faremos oposição séria, construtiva e que sirva sempre mas sempre para melhorar o nível de vida dos valecambrenses e fazer crescer Vale de Cambra.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*