Ceia de Natal dos Bombeiros de Arouca: Ambiente de festa, a recordação do pesadelo do verão e uma certa inquietude quanto ao futuro onde não podem entrar “paraquedistas”

A tradicional Ceia de Natal dos Bombeiros de Arouca realizada no passado sábado serviu não só para o convívio de uma grande família, mas também para um balanço de um ano marcado pelo combate a 200 incêndios. Patente uma certa inquietude sobre o não reconhecimento da importância do papel dos bombeiros voluntários.

Que em Arouca mandem os de Arouca”

A ceia de natal dos bombeiros serve, tradicionalmente, entre outros objetivos, para um prestar de contas sobre o trabalho desenvolvido ao logo do ano pela corporação. A de 2017 não fugiu ao figurino. Tal foi feito, sobretudo, pela voz do seu Comandante, José Manuel Carvalho Gonçalves e do Presidente da Direção, Celso Portugal. No entanto, José Gomes, Presidente da Mesa da Assembleia Geral, aquando do uso da palavra, depois de lembrar os valores do voluntariado, cultivados a preceito naquela casa (onde se vive, convive e trabalha), de agradecer o empenho de todos, deu especial ênfase às nuances “que prejudicam instituições”. Pedindo a todos “a dignidade de sempre” José Artur Gomes foi perentório ao afirmar não ser desejável “que alguns paraquedistas queiram interferir naquilo que não tem direto a interferir”, pelo que para si é importante “que em Arouca mandem os de Arouca”. Centrando-se sobretudo no que se passa, em termos de responsabilidade civil com o fogo de Pedrogão Grande, alertou para o facto de que “quem sofre são sempre os mesmos. Os tais generais, os tais catedráticos que tendem a manobrar e a suportar estas estruturas não são culpados de nada” pois, como quis lembrar, na situação em concreto, é o segundo comandante que está no tribunal a prestar contas e “não as estruturas que sempre querem chefiar e mandar em toda a gente”. “É um alerta para todos”, disse este dirigente sublinhado sempre a importância da união de toda aquela coletividade.

O Comandante José Gonçalves, depois de dar ênfase ao “muito orgulho” que sentia por naquele dia estarem tantos reunidos em mais uma ceia de natal (e foram mais de três dezenas), agradeceu a “dedicação e o empenho de todo o corpo de bombeiros”, assim como a todos os familiares “que nos apoiam sempre que nos ausentamos para ajudar o próximo”.

Celso Portugal e as tentativas de colocar em causa os bombeiros voluntários

Depois de reconhecer e agradecer o papel de “cada uma das famílias dos nossos bombeiros” pela “retaguarda essencial ao desempenho abnegado e eficaz dos que, hora a hora, em todos os dias do ano, sem mantém alerta, prontos a avançar para onde é necessário”, Celso Portugal falou nas tragédias que percorreram o paí­s e as vitimas que delas resultaram – e que lamentou. Para si “existem algumas tentativas de colocar em causa o papel dos bombeiros voluntários”, para depois adiantar que estão “conscientes de quanto representa o voluntariado a nível do paí­s e de modo particular na nossa instituição”, pelo que aproveitou o momento para agradecer e prestar homenagem aos que estão envolvidos nesta causa. Neste contexto lembrou, a título de exemplo, que em Arouca “todo o serviço noturno e de fim de semana são garantidos em regime de voluntariado”.

Enquanto Presidente de uma Direção, que está prestes a terminar o seu mandato, aproveitou o ensejo para agradecer a todos os “que em nós confiaram e a todos os que connosco serviram e servem a instituição”.

Margarida Belém prometeu incentivar e beneficiar o voluntariado

Presente pela primeira vez na ceia de natal dos bombeiros, enquanto Presidente de Câmara, Margarida Belém, falou de “um sentimento muito agradável” que lhe era dado por estar com aquela família. Lembrando a sua participação no convívio realizado com a visita à Madeira, referiu os “momentos em que estamos juntos à mesa e que acabam por se revelar muito importantes”, sendo que, enquanto representante do município, reconhecia e agradecia “o trabalho da associação, sobretudo no combate aos fogos, muitas vezes sobre condições muito duras”.

Margarida Belém prometeu incentivar e beneficiar o voluntariado no município, com medidas especiais e concretas para os bombeiros. 

2017: Os Bombeiros de Arouca em números

Os números apresentados pelo Comandante José Gonçalves, relativos à atividade da corporação, entre 1 de janeiro até à data, são os seguintes:

3.500 serviços percorrendo 520.000 kms

200 Incêndios com uma área de 3.250 hectares

12.000 doentes transportados

Texto de OPB

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.