Santana Lopes em Arouca e Castelo de Paiva defende um novo paradigma para o desenvolvimento do país

Santana Lopes esteve em Arouca e Castelo de Paiva no passado dia 9 de dezembro e prometeu “lutar contra o centralismo bacoco do país”, a “partir de uma visão integrada do desenvolvimento do país”.

O ex-primeiro-ministro, enquanto candidato à liderança do Partido Social Democrata, esteve presente numa sessão de esclarecimento com os militantes de Arouca e num jantar de Natal em Castelo de Paiva.
A partir do seu percurso de vida, com especial ênfase no serviço feito à causa pública através da ação cívica e política, Santana Lopes avançou um conjunto de propósitos que permitem afirmar uma predisposição “para unir o partido e ganhar o paí­s” -aliás, o lema de campanha. Para isso, lembrou a necessidade de lutar contra “os velhos do restelo”, até porque há “muitos que já anunciaram o fim do PPD-PSD, coisa que nunca se concretizou e nem concretizarᔝ – afiançou. Nunca descurando a identidade do PSD afirmou a ideia de ser “contra o bloco central”. Em termos de futuro – e se o partido e o paí­s lhe mostrarem confiança – prometeu enquanto primeiro-ministro “fazer muitas coisas novas”, assentando a sua ação numa forte “proximidade” e no “fazer bem às pessoas”.

Para o ex-provedor da Santa Casa é importante combater a coligação de esquerda, construindo uma alternativa coerente “lutando contra a propaganda e maledicência”. Neste sentido, anunciou a criação no partido de uma “plataforma colaborativa”, visando o desenvolvimento do país “mudando, ousando e crescendo” através de apostas na área social (dando exemplo dos equipamentos intergeracionais), descentralização e crescimento económico.

O antigo primeiro-ministro prometeu “cuidar do território”, pedindo a todos os que naquela tarde e noite o ouviram, que lhe “deem força” de forma a poder concretizar os seus justos propósitos.

André Almeida defende “um novo paradigma para as pequenas cidades e vilas”.

Em Arouca, e ainda antes dos militantes ouvirem o candidato a líder do PSD, registaram-se as intervenções do líder local da JSD, Tiago Mendes, do mandatário local, José Paulo Oliveira e do diretor distrital de campanha, André Almeida.

Tiago Mendes, depois de um breve retrato do município, desejou que Santana Lopes “saiba defender os princípios da social-democracia”, lançou desafios e defendeu a importância de que no país haja coesão social e territorial assente numa dinâmica intergeracional.

José Paulo Oliveira, na sua breve intervenção, deu a conhecer as razões do seu apoio ao candidato, que na sua opinião tem um perfil ímpar para ser o futuro primeiro-ministro. “Na sua candidatura está o futuro do paí­s”- defendeu o ex-presidente da Junta de Rossas, depois de várias crí­ticas ao poder socialista instalado no país.

André Almeida falou num novo rumo para o partido e do papel que Santana Lopes pode e dever ter nesse desiderato. Para este ex-deputado é tempo do partido regressar aos cidadãos, e com isso e por isso “à  sua matriz ideológica”, sem esquecer a visão particular que deve ser dada “aos territórios de baixa densidade” e a “um novo paradigma para as pequenas cidades e vilas”.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.