OPINIÃO | Somos todos Arouca

Chegou o dia 1 de Outubro e, com ele, o país conheceu aqueles que durante 4 anos irão exercer os seus mandatos nos diversos órgãos autárquicos do seu concelho.

Gostaria de começar por felicitar todos os eleitores que foram votar, afinal, a democracia foi instituída para dar ao cidadão o direito e também o dever de exercer o seu voto e legitimar os eleitos por via disso.

As eleições autárquicas são as eleições da proximidade, uma das grandes conquistas do Portugal democrático e que interfere diretamente no nosso município e, com isso, no dia-a-dia de muitos cidadãos pelo que, é e será sempre o momento que mais aproxima os eleitores dos eleitos.

A grande nota a retirar destas eleições autárquicas no plano nacional é, sem sombra de dúvidas, a grande derrota do Partido Social Democrata, principalmente nos meios mais urbanos, mantendo as poucas capitais de distrito que detinha, sendo neste momento uma “sombra” face aos pergaminhos no que ao poder local diz respeito. Para isso, contribuiu obviamente a conjetura nacional, muito por culpa do sucedido após as eleições de 2015, com uma solução de governo que se solidificou e se afirmou no panorama político governamental e deixou o PSD um pouco à deriva perante uma situação que, definitivamente, não estava preparado para enfrentar, fazendo com que muitos dos seus candidatos fossem, eles próprios, cada qual com razões específicas, também vítimas desta fase da vida política nacional.

Em Arouca, o Partido Socialista voltou a sair vencedor e fazendo história com eleição da primeira mulher, Margarida Belém, como Presidente de Câmara. O voto do povo é soberano! e parabenizo a candidata pela vitória eleitoral obtida. Os arouquenses demonstraram, através do seu voto, a sua preferência para liderar o executivo e respetiva equipa que a acompanha. O projeto apresentado aos arouquenses, com base no trabalho até aqui efetuado, foi reconhecido nas urnas e, apesar da mudança de protagonista, foi legitimamente sufragado.

A coligação ‘Somos Arouca’ perdeu a eleição para a Câmara Municipal de Arouca, o seu grande objetivo. Apesar de ter conseguido subir a sua votação relativamente aos atos eleitorais anteriores e eleger 3 vereadores, não foi suficiente para convencer a maioria dos eleitores a efetuar uma mudança que, a meu ver, poderia ser benéfica. Ainda assim, continua a ser a força predominante ao nível das juntas de freguesia e, com isso, mantém a maioria na Assembleia Municipal. Tenho a certeza que o Sr. Fernando Mendes e a sua equipa deram valiosos contributos para a discussão de ideias e projetos para o nosso município, valorizaram a disputa eleitoral, entregaram-se de corpo e alma a esta campanha e, com isso, devemos todos estar satisfeitos por o nosso concelho apresentar esta vivacidade política que enaltece e muito o debate plural que deve sempre prevalecer no âmbito de uma democracia.

As restantes forças eleitorais ficaram longe dos seus objetivos mí­nimos, embora também devo enaltecer as prestações dos candidatos nos debates que antecederam o sufrágio eleitoral e a sua campanha (com uma ou outra exceção), pois tiveram rasgo e ímpeto para se entregarem a uma disputa difícil.

Definitivamente, somos todos Arouca! Parabéns aos vencedores na pessoa da nova Presidente Margarida Belém e honra aos vencidos que muito dignificaram a causa pública.

Texto de Artur Miler

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*