OPINIÃO | Os idosos e os professores

Portugal é, actualmente, um dos países do espaço europeu com maior percentagem de idosos com repercussões económicas, culturais e sociais, sendo também um dos que pior os trata, com o abandono, a violência física, psicológica e, por vezes, até a extorsão de rendimentos.

O Dia Internacional do Idoso comemorou-se no dia 1 de Outubro, instituído pela ONU, no ano de 1991, com o objectivo de sensibilizar e responsabilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e para a necessidade de proteger, valorizar e cuidar bem este grupo etário. O envelhecimento é um caminho ímpar, é um processo heterogéneo e diferenciado, na medida em que cada um vive em contextos físicos, sociais e humanos diferentes e é portador de vivências e projectos de vida idiossincráticos. O processo de envelhecimento é, naturalmente, uma realidade biológica que tem a sua própria dinâmica, em grande parte, fora do controle humano, embora para se envelhecer bem, é fundamental ter comportamentos saudáveis ao longo dos vários ciclos da vida. A sociedade está em profunda mutação com a conquista do aumento da longevidade e o consequente aumento do número de idosos, devido ao desenvolvimento da ciência e à contribuição dos significativos progressos médicos e sociais das últimas décadas. Daí a necessidade de políticas que fomentem os meios necessários para que este grupo etário esteja capacitado para o novo conceito de envelhecimento activo focado no seu próprio bem-estar, adoptando medidas que promovam a educação para a saúde, formação para a aquisição da sabedoria de vida, consciencialização dos factores de bem-estar pessoal e relacional que acrescentam vida aos anos.

Também o Dia do Professor se comemorou no mês de Outubro, no dia 5. Que coincidência! É que o corpo docente está cada vez mais envelhecido, sendo que mais de 40% dos professores no activo têm mais de 50 anos. O Dia Mundial do Professor foi instituído em 1993, celebrando-se a partir de 1994, como reconhecimento do precioso contributo que os professores dão à  sociedade, apesar das enormes dificuldades da sua missão, e para chamar a atenção do papel fundamental que desempenham, para a necessidade da sua dignificação, como condição essencial para a valorização da escola e da educação. O professor continua a ser o artesão do futuro, razão pela qual o dia 5 de Outubro, em Portugal, deve ser um dia de grande celebração em contexto da República e não uma comemoração envergonhada. Os professores são a força mais influente e poderosa para a equidade, acesso e qualidade na educação, crescimento dos conhecimentos e das competências que permitam uma sociedade mais justa e equilibrada. A profissão de professor tem um carácter de imprescindibilidade na educação, nunca é uma opção. Daí­ ser lamentável que uma das profissões mais importantes e vitais para a sociedade, em Portugal não receba o apreço e respeito, como acontece em muitos países civilizados. As sociedades que não valorizem os seus professores são sociedades perdidas na premência do presente e sem visão confiante do futuro e não são capazes de construir as bases sólidas que sustentarão os sonhos das novas gerações.

Texto de Rosa Morais

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*