“É um dos melhores exemplos que há no mundo em termos de desenvolvimento de infraestruturas nos geossítios”

Arouca Geopark avaliado por dois peritos da UNESCO,

O Arouca Geopark recebeu, de 17 a 19 de julho, a visita de dois avaliadores da UNESCO – Nickolas Zouros e Zhao Zhizhong – com o objetivo de proceder à segunda reavaliação do território, no âmbito do Programa Internacional de Geociências e Geoparques. Durante três dias, os avaliadores ficaram a conhecer Arouca mais detalhadamente, tendo a visita culminado com uma conferência de imprensa para o balanço da jornada.

Após três dias de visita ao Arouca Geopark, os avaliadores revelaram, no passado dia 19 de julho, alguns dos argumentos que irão constar do relatório que será entregue à UNESCO, bem como algumas recomendações, tecendo rasgados elogios ao trabalho desenvolvido pela Associação Geoparque Arouca.

António Duarte, coordenador técnico da Associação Geoparque Arouca (AGA), iniciou os trabalhos começando por contextualizar a visita e as avaliações a que o território está sujeito, de 4 em 4 anos, desde que integra a UNESCO.

Nestes três dias visitamos vários sí­tios do nosso território, geossítios, cultura, património, todos os projetos que têm vindo a ser desenvolvidos na área do turismo, do desenvolvimento económico, do ambiente, da educação, entre outros. Esta é uma avaliação que pode dar origem a recomendações, sempre no sentido da melhoria contínua e no sentido de verificar se os padrões de qualidade exigidos pelo programa estão a ser cumpridos”, explicou.

O primeiro dos avaliadores a falar foi Zhao Zhizhong que destacou o trabalho realizado ao longo dos anos no Arouca Geopark, com especial destaque para a recuperação de sítios geológicos, dando como exemplo a “Mamoa de Monte Calvo”.

Seguiu-se Nickolas Zouros que se mostrou surpreendido com os progressos do território. “Estou muito contente por estar aqui, em Arouca, e ver os progressos implementados, especialmente nos últimos quatro anos, desde a última avaliação que fizemos. Penso que é um dos melhores exemplos que há no mundo em termos de desenvolvimento de infraestruturas nos sítios geológicos em tão pouco tempo”.

Mais desenvolvimentos na próxima edição impressa

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*