Passeio anual da ASARC: Rumo à cidade dourada

Arouca

Teve lugar nos dias 29 e 30 de junho o passeio anual da Academia Sénior de Arouca, que, desta vez, escolheu Salamanca e a sua região, como meta principal da viagem.

Conhecida também com a Cidade Dourada, graças à cor predominante dos edifícios que apresentam um tom especial devido ao tipo de pedra utilizado na sua construção, Salamanca foi declarada cidade Património Cultural da Humanidade pela UNESCO em 1988.

Foi nessa cidade, que possui uma das universidades mais antigas da Europa, criada por Afonso IX em 1218, que os alunos seniores pernoitaram.

Antes de aí chegarem, tiveram a oportunidade de visitar a austera e granítica Sé da Guarda e de passearem pelo centro histórico da mais alta cidade portuguesa, fundada pelo pai da nossa rainha Santa Mafalda, o rei D. Afonso I, cuja imponente estátua se ergue, por isso mesmo, em frente à Sé da Guarda.

Depois do almoço, e ainda antes de entrar em Espanha, nova paragem para visitar a vila fronteiriça de Almeida, conhecida pela sua fortaleza em forma de estrela de doze pontas.

A cidade dourada

Chegados a Salamanca e depois de alojados numa unidade hoteleira, situada perto da zona histórica da cidade, os visitantes seniores partiram à descoberta desta imponente cidade, autêntico museu a céu aberto, tantos são os deslumbrantes monumentos que surgem por todo o lado.

Como em qualquer cidade espanhola, a Praça Maior de Salamanca, impõe-se pela sua majestosidade e é sempre um polo de atração turística, não só pela sua grandiosidade, como pela animação, quer diurna, quer nocturna, que a preenche.

Além da Praça Maior, também as numerosas igrejas e conventos que ocupam a zona histórica desta cidade, bem como os imponentes edifícios da Catedral Velha e Catedral Nova e da Universidade de Salamanca foram objecto de visita, na manhã do dia seguinte, muito embora o tempo fosse muito pouco para desfrutar de tão grande número de motivos turísticos a visitar.

La Alberca

Se Salamanca impressiona pela majestosidade dos seus inúmeros edifícios e pela grandiosidade dos seus monumentos, a localidade de La Alberca cativa-nos pela agradável surpresa de todo o seu conjunto arquitectónico, com as casas típicas, ornamentadas de flores e as estreitas e sinuosas ruas ladeadas de lojas de comércio gastronómico e de artesanato da região, evidenciando, algumas delas, marcas da influência árabe.

Situada no sopé da Serra de França esta pequena localidade é, na verdade, grande na sua beleza já muito antiga, aliás, pois já em 1940 foi declarada “Conjunto histórico-artístico”, tendo sido a primeira localidade espanhola a ser contemplada com tal distinção.

Depois do almoço e após terem percorrido as principais ruelas de La Alberca e visitado a igreja matriz e a Praça Maior, os visitantes subiram a Serra de França, onde a 1750 metros de altitude, puderam visitar o Santuário dominicano de Nossa Senhora da Penha de França e de onde se admira uma paisagem deslumbrante.

Durante a subida, por entre densa floresta de castanheiros, pinheiros e outras espécies autóctones, o prof. de Geografia da ASARC, Jorge Oliveira, foi fazendo a leitura geográfica e orográfica da paisagem, o que aliás aconteceu, por várias vezes, ao longo da viagem, contribuindo assim para uma melhor compreensão daquilo que se ia observando.

Antes do regresso a Portugal, mais uma paragem em Ciudad Rodrigo, contemplada também com a distinção de “Conjunto histórico-artístico” pela grande presença de monumentos e edifícios históricos, muitos deles datados dos séc. XV e XVI.

Pelo convívio humano que proporcionou, pela história e riqueza dos monumentos visitados, pela diversidade de paisagens percorridas e pelas sábias e oportunas explicações do prof. de História que nos acompanhou, esta visita de estudo anual da ASARC foi, seguramente, mais um sucesso, na linha, aliás, das viagens anteriores que a Academia Sénior anualmente vem proporcionando a todos os alunos e associados.

José Cerca

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*