Arouca: Fernando Mendes levou caso da falta de professor de português no Agrupamento de Escolas de Arouca ao Parlamento

O deputado e vice-presidente da bancada do PSD, Amadeu Albergaria, entregou no passado dia 27 de março, na Assembleia da República, um requerimento para que o ministro da Educação interceda na resolução do problema que afecta meia centena de alunos em Arouca, sem aulas de Português há quase dois meses.

O Grupo parlamentar do PSD foi alertado para a situação preocupante que a não validação de horário está a originar no Agrupamento de Escolas de Arouca. Meia centena de alunos do 9.º ano, que terão exame nacional de fim de ciclo, deste agrupamento estão sem aulas da disciplina de Português há quase dois meses, o que naturalmente causa enorme preocupação e mal-estar quer aos alunos e seus encarregados de educação quer à própria direcção da escola”, afirmou o parlamentar.

Amadeu Albergaria considera “uma situação inaceitável que tem de ser resolvida com celeridade” pelo Ministério da Educação.

O documento – agora apresentado – dá conta de que “a docente da disciplina de Português entrou em baixa médica no início de Fevereiro e naturalmente a escola providenciou de imediato a substituição da docente, recorrendo para o efeito aos procedimentos adequados, designadamente a Reserva de Recrutamento. No entanto, de acordo com a representante dos encarregados de educação, o Ministério não valida o horário colocado pela escola na aplicação informática o que impede a contratação do docente necessário”.

A iniciativa parlamentar foi impulsionada pelo candidato do PSD à Câmara de Arouca, Fernando Mendes, que apelou recentemente a Amadeu Albergaria – que integra a Comissão de Educação da Assembleia da República – para questionar o Governo sobre esta matéria.

Os Encarregados de Educação temem pelo resultado no exame nacional e têm razões para tal. Julgo que este tipo de problemas não podem acontecer nem em Arouca nem em qualquer parte do País”, disse, agradecendo a “pronta intervenção do deputado”.

No requerimento, o parlamentar social-democrata pergunta ao titular da pasta da Educação se tem conhecimento do caso, como explica a não validação do horário e quando é que os alunos podem contar com professor. PSD/Arouca

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*