Vários pedidos para o ano de 2017

Estamos no primeiro mês do ano de 2017. Este novo ano ainda é uma incógnita para todos nós o que não nos impede de fazermos projectos, formularmos pedidos e desejos. E, assim sendo, é desejável que o novo ano nos traga:

Boas novas e esperança num futuro melhor.

Pão para todos. Que não haja fome. Que não haja crianças com carências alimentares que lhes provocam sequelas no futuro. Para isso, tem de haver mais e melhor emprego e que a palavra desemprego deixe de ser tão badalada. Que os nossos jovens – a geração mais qualificada de sempre – consigam entrar no mercado de trabalho, construindo carreiras, não vivendo de biscates, trabalho sazonal ou de substituições, para que possam dar ao país tudo o que aprenderam e não precisem de emigrar. Os nossos jovens merecem mais oportunidades e um futuro melhor. O fim do desemprego jovem é um dos grandes desafios que se coloca ao nosso país.

Uma sociedade mais igualitária, mais justa e mais solidária. Que não haja pessoas a viverem na rua, com fome e com frio. Que os idosos não estejam isolados e desprotegidos, muitos deles, com grandes carências a vários níveis e, por vezes, abandonados e até despejados pelos próprios familiares. Que as pessoas portadoras de deficiência sejam integradas na sociedade e não maltratadas. Saibamos estimar e respeitar as pessoas mais frágeis da nossa sociedade.

Um bom sistema nacional de saúde (SNS) que tenha capacidade de resposta compatível com o nível de exigência. Que a saúde de qualidade não seja exclusivamente para os mais poderosos, pois os direitos e deveres da sociedade pressupõem que todos são iguais perante a lei. O serviço nacional de saúde é uma das grandes conquistas da revolução dos cravos.

Uma escola pública de qualidade para todos com a mesma igualdade no acesso e no sucesso. Uma escola que possa ser frequentada por todas as crianças e jovens, independentemente, da sua condição física, económica, social e de residência. Uma escola inclusiva – uma escola que acolha nas diferenças, que conviva e que combata a exclusão social. Exclusão esta justificada pela desigualdade social, pelo dinheiro, pelo nascimento, pela inteligência e pela deficiência. A educação é uma das melhores apostas para o desenvolvimento e crescimento.

Uma sociedade menos violenta, mais tolerante, mais humilde e com mais respeito pelo ser humano.

O fim dos conflitos armados, o fim da crise dos refugiados, o fim do tráfico de pessoas, de armas e de drogas. O fim do terrorismo e o fim de qualquer tipo de escravidão. Que o novo ano devolva ao Mundo a paz, a alegria, o bem-estar, a segurança, a confiança, a tolerância e a esperança.

Rosa Morais

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*